domingo, 4 de setembro de 2011

Palavras doces



Estou tão doce quanto
Aquilo que vai derreter em seus lábios,
Tem o sabor de cereja
E é delirante o arrepio em meus dedos...

Entre um sorriso e outro
E quase se divertir de verdade,
É melhor ficar em silêncio
E evitar a esperada calamidade...

Por que pessoas volúveis sempre estão densas
E derramam nesse chão o desnecessário,
Pendem para o lado
Em que qualquer coisa é excessiva.

E é somente por que não faz falta,
Uma hora ou outra
Elas ficam tão enjoadas de tudo,
Por estarem cansadas delas mesmas...

Estou agradável, doce como cereja.
Eu só queria que as coisas que você me joga
Não fossem tão pesadas
Quanto o ar em que você desaparece no dia seguinte.

Autor: Tom Aiko

Nenhum comentário:

Postar um comentário